Moçambique: Maputo contrai novas dívidas sem informar Parlamento

AGORA member's picture
O governo moçambicano negou mais dívidas escondidas pelo Estado, dívidas contraídas entre 2015 e 2016 sem informar o Parlamento, como denunciou um estudo do CIP, Centro de Integridade Pública, em Moçambique. Dívidas de 61 milhões de euros e 43 milhões de euros.
 
O ministro da Economia e Finanças de Moçambique, Adriano Maleane, negou a existência de mais duas dívidas escondidas pelo estado entre 2015 e 2016 como denunciou o Centro de Integridade Pública, CIP, no dia 15 do corrente mês.
 
Esta denúncia consta do relatório intitulado “Governo continua a contrair empréstimos sem nenhuma transparência”, da organização não governamental, Centro de Integridade Pública, CIP.
 
Segundo o CIP, o governo moçambicano contraiu entre 2015 e 2016, uma primeira soma de 61 milhões de Euros para a Administração Nacional de Estradas ANE e depois, 43 milhões de Euros para o Porto de Pesca da Beira.
 
Dívidas contraídas junto do EximBank da China e à semelhança da Ematum, Proindicus e MAM sem o conhecimento do Parlamento, sublinha o CIP.