TACV custa ao estado cabo-verdiano o equivalente a 2% do PIB

Miguel Nogueira's picture

O Estado cabo-verdiano despende anualmente 3,6 milhões de contos cabo-verdianos (cerca de 32,6 milhões de euros ao câmbio de hoje) com os TACV, lamentou-se no Parlamento o novo primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia da Silva, que sublinhou que essa verba representa 2% do PIB.

“É suficiente para criar uma tensão forte no orçamento de Estado”, sublinhou o governante, citado pela edição online do jornal cabo-verdiano “Expresso das Ilhas”.

A notícia explica que Ulisses Correia da Silva participava na discussão do Orçamento de Estado no Parlamento, durante a qual denunciou que o seu partido, MpD, apenas conhecia a ‘ponta do iceberg’ da situação financeira do país.

E deu como exemplo a transportadora aérea cabo-verdiana, afirmando, segundo o “Expresso das Ilhas”: “Trezentos mil contos de recursos injectados pelo tesouro mensalmente para sustentar a TACV. Sabíamos que a situação era difícil, mas ninguém nos deu esses números”.

“São 3 milhões e 600 mil contos por ano, 10,5 por cento das receitas fiscais, dois por cento do PIB cabo-verdiano. É suficiente para criar uma tensão forte no orçamento de Estado”, acrescentou.

Cabo Verde foi no primeiro semestre deste ano a 5ª maior origem/destino de passageiros no Aeroporto de Lisboa, com um total de 141,8 mil, cerca de 26,5% deles, ou 37,6 mil, em voos dos TACV.

Em relação ao primeiro semestre de 2015, o movimento de passageiros em voos de/para Cabo Verde, ligações em que também operam a TAP e companhias charter contratadas por operadores turísticos portugueses, tiveram um aumento de passageiros em 9,6%, mas os TACV tiveram uma queda em 15,2%. 

 

Fonte: PressTur, 20/Julho/2016http://www.presstur.com/empresas---negocios/aviacao/tacv-custa-ao-estado...